Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BAGAS GOJI

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

BAGAS GOJI

02
Jan16

UMA RECEITA DE COMPOTA DE TAMARILHO

Marco Rebelo

Esta é uma receita simples de doce de tamarilho. Bom para barrar no pão ou em tostas, combinado com manteiga de amendoim, queijo da serra ou simplesmente sozinho o doce de tamarilho torna o pequeno almoço ou o lanche mais delicioso e apetecivel.

 

1 kg de tamarilho (polpa)

500 gr de açucar

um pau de canela

 

Vamos cortar os tamarilhos ao meio e retirar a polpa com uma colher. Depois colocar a polpa num tacho e triturar com uma varinha mágica adicionando em seguida o açucar e o pau de canela.

Deixar cozer em lume brando, tendo o cuidado de mexer de tempos a tempos para não pegar ao fundo. A compota estará pronta quando atingir o "ponto de estrada", teste este que é feito retirando uma colher de sopa de doce do tacho e espalhando-o num pratinho e verificar se faz uma estrada com uma colher. Agora só falta encher os frascos e guardar.

As sementes podem retiradas com um coador de rede larga no momento antes de encher os frascos, para quem preferir.

 

DSC_0244final.jpg

04
Jan15

ESTRAGOS DO FRIO

Marco Rebelo

Tamarilhos

 

Os tamarilhos são um fruto sensível ás geadas e antes que as noites arrefeçam a sério é conveniente apanhar todos os frutos das árvores. A geada provoca queimaduras nos frutos fazendo com que apodreçam e acabem por cair. Se cortarmos um ao meio e verificarmos que está um pouco escuro é porque não está em condições de comer e perdeu o sabor.

 

A geada queima também a folhagem e as árvores ficam despidas, mas não há problema porque voltam a rebentar na primavera.

 

Entretanto é tempo de saborear os frutos. Cortados ao meio e retirando a polpa com uma colher, adicionando um pouco de açúcar ou não, dependendo do gosto de cada um, a polpa é saborosa. Quando temos muitos frutos e não queremos que se estraguem fazer compota é uma boa ideia.

 

DSCF1783r.jpg

 As geadas queimam completamente a folhagem

 

DSCF1788r.jpg

Vamos comer os tamarilhos antes que se estraguem

23
Nov13

TAMARILHOS: COLHEITA 2013

Marco Rebelo

Chega o outono e com ele a altura da colheita de frutos bem nossos conhecidos, caso das castanhas, das nozes ou das avelãs.

Pelas árvores e pelas terras os tons ocre abundam e enchem a natureza de uma beleza especial.

Depois dos magustos e preparadas as compotas e as marmeladas, chega agora a época da apanha dos tamarilhos.

Este é o segundo ano de produção desta árvore. Voltou a carregar com dezenas de cachos de tamarilhos vermelhos, alguns deles já em estado de apanhar. De certeza que estes tamarilhos vão dar boas compotas, saladas e sumos...

 

 
 
 
13
Ago13

NOTICIAS: PRODUÇÃO DE TAMARILHOS EM PORTUGAL

Marco Rebelo

 

Investigadores da Universidade de Coimbra (UC) obtiveram, através de "técnicas de clonagem", um "conjunto de plantas seleccionadas" de tamarilho "altamente promissoras para afirmar a produção e consumo deste fruto exótico" em Portugal.

 

A partir de material vegetal proveniente de diferentes origens, designadamente da Madeira e dos Açores (onde há pequenas produções), os investigadores conseguiram desenvolver "um método de clonagem por embriogénese somática" (processo que permite "multiplicar plantas seleccionadas") do tamarilho, anunciou hoje a UC.

 

Fruto originário da América do Sul, "ainda pouco conhecido em Portugal", tanto pela população como pelos produtores e pela indústria, o tamarilho possui "características nutricionais muito interessantes, devido ao elevado índice antioxidante e baixo teor calórico".

 

A técnica utilizada pelos investigadores permite a manutenção, através das plantas seleccionadas, das “características originais com interesse e garantir uma produção rápida e resistente”, como, por exemplo, a “pragas e intempéries”, o que “no caso do tamarilho assume grande importância, já que é uma fruteira muito sensível às geadas”.

 

Os métodos convencionais de propagação por semente “não permitem manter a qualidade da planta mãe”, salienta a bióloga Sandra Correia, que desenvolveu a sua tese de doutoramento no âmbito desta pesquisa.

 

Os resultados da investigação, desenvolvida no Centro de Ecologia Funcional da UC, têm um grande potencial de aplicação na gastronomia e na indústria, acredita Jorge Canhoto, coordenador do estudo.

 

“Há dez anos”, o mirtilo “também não era conhecido em Portugal e agora, não só é muito consumido”, como também é já significativa a sua exportação, refere o especialista, sublinhando que existe “plantas, os genótipos de excelência e a tecnologia para transferir para indústria”.

 

Trata-se de “um nicho económico a explorar”, sustentam os autores do estudo, sublinhando que “a designada gastronomia gourmet aposta em produtos novos e o tamarilho, devido à sua característica agridoce, pode fazer diferença no cardápio” – é um fruto “excelente para inovar e surpreender nos doces, sumos, compotas e pratos gastronómicos”.

 

Com um ensaio piloto em curso no Jardim Botânico da UC, os investigadores tencionam “micropropagar plantas em larga escala”, no âmbito da UC InProplant, uma associação estabelecida entre a UC e a empresa InProplant, que tem como principais áreas de actuação os sectores agro-frutícola e florestal.

 

Fonte:  Lusa

 

Daqui a pouco tempo os tamarilhos vão começar a amadureçer

28
Jun13

NOVAS PLANTAS RARAS

Marco Rebelo

Para quem está interessado em ter em casa uma planta frutifera rara e tem dificuldades em adquiri-la, dou a conheçer que a querida Ana Santos possui um pequeno stock de plantas que pode disponibilizar a preços simbólicos. Entre outras estão por exemplo as physalis, maracujás, tamarilhos, granadilhas, gojis, etc. Mas ela só faz entrega em mão e só em Aveiro.

Ficam algumas fotos e fica também a morada do blog para quem estiver interessado: http://plantasraras.blogs.sapo.pt/

 

28
Abr13

TAMARILHO: GERMINAÇÃO E REBENTOS

Marco Rebelo

A Germinação

 

Foram usadas sementes de um fruto colhido no ano passado. Depois de bem lavadas e postas a secar ao sol foram semeadas num pequeno vaso com terra comum retirada do quintal. A germinação das primeiras plantas ocorreu com 20 dias.

Não germinaram todas as sementes mas são suficientes porque cada planta produz bastantes frutos. Mais tarde poderão ser retiradas e separadas para poderem ser plantadas nos seus lugares definitivos.

 

 
 
Novos Rebentos
 
O tamarilho resistiu bem ao frio e ás geadas do inverno. Ao contrário do primeiro ano, neste inverno que passou já não foi necessário tomar nenhuma medida de protecção contra o frio. No primeiro ano é conveniente proteger um pouco com um plástico senão corremos o risco de a planta morrer.  Nota-se que com o crescimento este tipo de plantas vai ganhando uma estrutura lenhosa capaz de resistir ao frio. Apenas se verificaram algumas folhas queimadas provocadas por algumas noites em que caiu geada, mas nada mais.
 

  

Logo que chega a primavera o tamarilho começou a ganhar novos rebentos. Perdeu a maioria da folhagem durante o inverno. Nessa altura aproveitei para cortar alguns ramos que me pareciam supérfluos. Não quero que cresça exageradamente fazendo sombra ao resto das culturas do quintal, e por outro lado espero deste modo que o tamarilho ganhe mais "força" e que produza frutos com melhor qualidade.
De cima a baixo o tamarilho enche-se de novos rebentos. Tanto os do tronco como os dos ramos principais foram retirados. Se crescessem provavelmente iriam "sufocar" a planta e não sei até que ponto frutificava convenientemente. Por outro lado assim o tamarilho fica com um aspecto mais arejado.
Rebentos excedentes retirados podem ser aproveitados para produzir novas plantas. Basta plantá-los tendo o cuidado que os manter bem regados e á sombra enquanto não enraizam.
Está agora a começar a ganhar as primeiras flores. É bom sinal aparecerem cedo porque deste modo haverá frutos cedo. A ver vamos...
 
 
12
Mar13

PEGA DE ESTACA O TAMARILHO

Marco Rebelo

Em alternativa ás sementes podemos também usar o método da propagação por estacas.

Nas espécies de folha caduca, as estacas colhem-se entre a queda da folha e a rebentação primaveril por isso estamos na época propícia para fazer esta operação. É uma forma fácil e eficaz de multiplicar framboesas, tamarilhos, gojis ou mirtilos por exemplo. Podem ser utilizados alguns bocados dos ramos e caules lenhosos com cerca de 10 a 20 centimetros de comprimento.

Depois de colocadas as estacas em vasos ou já em lugar definitivo só nos resta ter o cuidado de ir regando e esperar que enraízem e que comecem a rebentar.

Não esquecer que estamos numa boa altura também para plantar os morangos...

 

 
As estacas dos tamarilhos pegam com facilidade
05
Fev13

SUMO DE LARANJA E TAMARILHO

Marco Rebelo

Este ano tem sido próspero para os citrinos. É fácil observar pelos quintais e terras árvores carregadas de grandes quantidades de laranjas, tangerinas, clementinas, etc.

Por isso, dado haver grande quantidade deles também cá no quintal, principalmente laranjas, vamos aproveitar para fazer sumos naturais.

Além das laranjas, tamarilhos também não têm faltado, por isso vamos combinar os dois frutos e fazer um sumo numa proporção de 70% de laranja e 30% de tamarilho. As laranjas são doces e compensam a acidez do tamarilho.

Para obter o sumo de tamarilho pode ser usada uma máquina centrifugadora de fazer sumos. Em alternativa também resulta espremer os tamarilhos descascados num coador de rede com o auxilio de uma colher.

 

 

A combinação destes dois tipos de sumos de fruta ficou boa. O tamarilho tem um sabor algo idêntico a maracujá, combina bem com a laranja e resulta num sumo ligeiramente ácido mas agradavelmente fresco e saboroso.

Sumo 100% natural, rico em vitaminas, sem adição de açúcar e que faz bem á saúde.

01
Dez12

TAMARILHOS: COLHEITA

Marco Rebelo

Vamos regressar á árvore dos tamarilhos. Alguns frutos já estão completamente vermelhos, mas a maior parte deles ainda se encontra verde. A causa provável deste atraso talvez seja por a árvore ser ainda nova e este ser o primeiro ano de frutificação.  São frutos relativamente pequenos, com uns 7-8 centímetros de comprimento cada.

 

 

Estamos a chegar ao inverno e este tempo frio é capaz de dificultar o amadurecimento dos tamarilhos. Creio que esta é uma daquelas frutas que pode amadurecer lentamente mesmo que tenha sido apanhada um pouco verde. Por isso, antes que as geadas começem a cair a sério, apanhei alguns dos mais vermelhos e que parecem mais maduros. Talvez amadureçam bem se forem mantidos durante algum tempo num sitio mais quente. Em todo o caso vamos fazer esta experiência e esperar a ver se tal acontece.

Apesar de serem duros por fora, a polpa interior onde estão as sementes é mole.  Têm um sabor agridoce, tropical, exótico e ligeiramente ácido, algo parecido a maracujá com um pouco de melão.

Uma maneira agradável de apreciar os tamarilhos é simplesmente cortá-los ao meio, polvilhá-los com um pouco de açúcar e comê-los com uma colher.

 

Estes tamarilhos são bastante suculentos e agradáveis e dão uma óptima sobremesa.

15
Nov12

O AMADURECIMENTO DOS TAMARILHOS

Marco Rebelo

Outono. O sol desaparece e as folhas morrem. A natureza apresenta-se algo triste mas de certa forma bela ainda assim. Altura de inicio de repouso para algumas espécies vegetais e altura de colheita para outras. Tempo de maçãs, pêras, romãs e dióspiros. Apanham-se as abóboras, os frutos secos: as nozes, as avelãs, as castanhas...

Sobre os tamarilhos vermelhos poucas noticias há nesta altura. Este primeiro ano o pé carregou bastante, são algumas dezenas deles, apesar de terem caído alguns com o vento. Estão aparentemente com um tamanho aceitável e começam a adquirir timidamente uma cor avermelhada, mas o seu amadurecimento tarda. Parece ser uma fruta que precisa de muito sol e calor e o tempo que agora se aproxima irá dificultar ainda mais o amadurecimento conveniente dos frutos. Ficam algumas fotos dos bonitos tamarilhos, vou continuar á espera que finalmente amadureçam para voltar a dar noticias.

 

  
  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D