Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BAGAS GOJI

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

BAGAS GOJI

07
Mar12

MARÇO

Marco Rebelo

Março é o mês ideal para a propagação de estaquias de muitas espécies de plantas ornamentais, por exemplo as roseiras ou dos crisantemos; e de muitas espécies frutiferas, caso dos gojis, das framboesas, dos mirtilos, das videiras, etc..

 

A propagação dos vegetais pode ser feita pela reprodução sexuada, ou seja, por sementes, ou pela multiplicação ou reprodução assexuada, no caso das estaquias.

Uma das vantagens da propagação por estacas é que poderemos obter resultados mais rápido, ao contrário das sementes que tornam o processo mais moroso.

 

A estaquia, ou “multiplicação por estacas”, é um método de reprodução assexuada de plantas, consiste no plantio de pequenas estacas de caule, raízes ou folhas que, plantados em meio húmido, se desenvolvem em novas plantas. In “Wikipedia“.

 

No caso dos gojis, aproveitei alguns pedaços mais lenhosos de podas de plantas com cerca de 15-20 cms para utilizar como estacas. Escolhi pedaços das plantas mais robustas, tentando de alguma forma “clonar” os melhores espécimes, já que cada estaca será geneticamente idêntica à planta “mãe”. Mais tarde veremos se terá alguma vantagem.

 

 

 

Plantar estacas em recipientes tem a vantagem, além de ser prático, a de manter uma temperatura mais elevada do substrato, facilitando a aceleração do desenvolvimento das plantas.

 

Neste caso, e á falta de vasos normais, usámos pacotes de leite que são sempre bons para acondicionar plantas temporáriamente, sem gastar dinheiro. Podemos também usar embalagens de outro tipo vazias.

É muito importante não confundir a base da estaca com a ponta, pois se a estaca for enterrada de “cabeça para baixo” não germinará e acabará por secar.

Vão ser regadas regularmente e mantidas á luz solar o maior tempo possivel de horas por dia. Mais tarde poderemos transplantar  estas plantas para um sitio definitivo. Mas por agora só nos resta aguardar...

  
 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D