Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BAGAS GOJI

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

BAGAS GOJI

30
Jan12

FEIJOA (Feijoa sellowiana)

Marco Rebelo

Enquanto a primavera não chega e novas experiências a fazer nos nossos gojis ainda tardam, podemos falar um pouco sobre outras espécies de plantas que são igualmente interessantes, principalmente por não serem muito conhecidas cá em Portugal.
Podemos falar de uma, da Feijoa (Feijoa sellowiana).Tenho uma que me foi dada por um colega na altura do verão, entretanto mudei-a para um vaso maior e está agora protegida com um plástico por causa das geadas. Esta é outra das espécies que se encontram facilmente á venda em hortos.

 

 

Na altura do inverno convém proteger a feijoa com um plástico por
causa do frio e das geadas

 

Para quem não conheçe, uma pesquisa rápida dá-nos algumas informações sobre o aspecto e caracteristicas desta planta.

 

Reino:      Plantae

Divisão:   Magnoliophyta

Classe:   Magnoliopsida

Ordem:   Myrtales

Família:   Myrtaceae

Género:  Feijoa

Espécie:  F. sellowiana

 

A Feijoa sellowiana, também é conhecida vulgarmente por goiaba-serrana ou goiaba-ananás. É um arbusto vivaz ou árvore de pequenas dimensões, atingindo de 1 a 7 metros de altura, originário das terras altas do sul do Brasil, Uruguai e norte da Argentina.
O fruto amadurece no Outono e é de coloração verde, de forma elipsóide, com o aspecto de uma goiaba miniatura. Tem um sabor agradável, muito aromático e doce. A polpa é sumarenta, dividindo-se numa parte mais gelatinosa, onde estão as sementes, e uma parte mais firme e levemente granulada junto á casca. O fruto cai da árvore quando maduro, mas pode ser colhido antes, de modo a não ficar danificado. O botânico alemão Ernst Berger nomeou o género em honra de Silva Feijoa, um botânico espanhol.
É uma planta de ambientes quentes-temperados a subtropicais, desenvolvendo-se também nos trópicos, requerendo, contudo, alguns dias de baixas temperaturas para poder frutificar. Dá-se bem no nosso clima, resistindo à geada, apesar de ser um arbusto de folha persistente, mas a sua polinização é difícil. Ainda que as suas flores sejam espectaculares não atrai muito as abelhas e outros insectos polinizadores, chegando muitos produtores especializados neste fruto a proceder à polinização forçada, passando o pólen de umas flores para outras com um pincel. Também se pode fazer compota com a sua polpa. (retirado e adaptado da wikipédia)

 

 

 

Pormenor da flor

 

Pormenor dos frutos

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub