O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

Quarta-feira, 6 de Junho de 2012

Já comi. Eram boas. A Ana deu-me algumas para provar. Tinham um óptimo aspecto e eram tenras e doces. São as primeiras bagas de goji deste ano.

Com pouco mais de um ano e apesar de ainda estarmos no inicio de junho, estas plantas estão a produzir bastantes gojis. Mais uma vez se confirma que elas se dão bastante bem cá por terras de Portugal.

Mas vamos ver algumas fotos que a Ana tirou das ditas bagas e de plantas que tem no seu quintal, seguidas de um texto da sua autoria sobre o testemunho resultante da sua experiência com esta planta. Muito obrigado Ana!

 

 
 
 

Testemunho Goji

por Ana Santos

 

"É um fruto de rápido desenvolvimento que amadurece num espaço de tempo muito curto, apenas alguns dias. As primeiras bagas são em pouca quantidade, mas devido ao rápido desenvolvimento da planta ao longo da primavera em termos da ramificação, esta acaba por dar uma quantidade de frutos razoável. De notar que quanto às pragas, as formigas e os pardais, são mesmo o principal problema. As formigas normalmente, instalam-se na planta e mesmo ainda quando a baga apresenta uma coloração laranja, estas acabam por roer as bagas e acomodam-se no seu interior, uma vez lá dentro vão comendo a baga, mesmo antes de esta amadurecer. Os pardais têm uma preferência por bagas que apresentam uma coloração vermelha. Portanto, a melhor altura para a apanha das bagas parece-me que seja quando o caule do fruto se encontra seco, isto sem deixar que a baga apresente um aspeto murcho. Quanto ao sabor é doce e tem uma textura suave, muito bom para comer ao natural, acabadas de colher, ou até mesmo deixando de um dia para o outro. O próximo passo é experimentar secar as bagas ao vento num local onde não dê sol.


Conselho


Para quem pretende cultivar este tipo de planta em grandes quantidades não precisa de fazer um investimento inicial muito elevado, uma vez que uma planta com um ano e dois meses de idade se encontra em condições, através das pontas das suas raízes, se começa a desenvolver mais do que uma nova planta. Estas localizam-se apenas a alguns centímetros da planta mãe. Podendo ser mantida no local onde nasce ou ser mudada quando tiver uma altura de 60 cm.

 

Reprodução

 

Método 1) colocar as sementes na terra; Método 2) tirar uma estaca das mais antigas ou das mais novas e colocar na terra, o que verifiquei foi que ambas as estacas demoram aproximadamente duas semanas e meia para dar sinais de que pegaram. O método preferível é mesmo o 1, pois o segundo é muito mais lento apresentando um período de estagnação após abertura de algumas folhas. Quanto ao 1 resulta muito bem e o crescimento da planta é muito notório.

 

Tratamentos


Esta planta não requer nenhum tratamento em especial, a não ser água, muita água."

 

Ana Santos

tags:
publicado por Marco Rebelo às 22:00
link do post | favorito

Olá
As minhas plantas de goji vão crescendo mas nem todas ao mesmo ritmo.
Quando jovens toleram mal o excesso de água, por isso, nos dias de chuva tenho-as abrigadas, até porque ainda estão em vaso.

Entendo que o método de propagação por estaca poderá ter algumas vantagens porquanto a planta produzirá frutos mais cedo; o método de germinação por semente pode revelar-nos surpresas desagradáveis quando nenhuma semente germina...eventualmente porque a baga foi seca a altas temperaturas e não ao sol.
Da minha experiência, parece-me que o tempo de germinação pode variar muito entre as sementes.
Tenho plantas de frutos «originários» da Turquia, da China do Tibete e de umas bagas bem maiores do que os seus pares; vamos ver se há diferenças nos frutos.

Uma questão, como se defende dos pardais e das formigas?

Obrigado pelo testemunho.
Sansoni7 a 8 de Junho de 2012 às 12:50

Olá,
Para já, quanto à propagação por estaca não vi nenhuma vantagem, pois não cresce mais rápido, nem tenho vindo a notar nenhum desenvolvimento na estaca, mas também só experimentei com uma. Quando houver progressos logo contarei.
Quanto aos pardais, uma rede de pesca e ou cd's pendurados resulta bem :), se quisermos acabar com as formigas existem vários produtos nas drogarias, em pó ou solúveis, é uma questão de escolher.
Ana Santos a 9 de Junho de 2012 às 08:40

O uso de estacas nesta espécie (e noutras) comparado ás sementes, tem algumas vantagens a nivel de facilidade. Por exemplo: é mais simples plantar as estacas logo em lugar definitivo, aproveitando bocados de podas de plantas boas. No caso das sementes, a operação de extrair sementes das bagas é mais trabalhosa, e os cuidados a ter durante a germinação destas sementes é maior.
Em relação aos pardais, objectos como cd´s podem afugentar os pássaros, embora não me parece que haja um metodo 100% eficaz, pelo menos sem implicar grandes meios.
Sobre as redes de pesca, podem ser eficazes e práticas em plantações de espécies vegetais rasteiras (morangueiros por exemplo). Não me parece prático nem atractivo ter redes de pesca a cobrir gojis de dois metros de altura. O quintal ia ficar com uma aparência muito pouco agradável.
Os pós insecticidas para as formigas parecem ser boa solução. Se o pó for espalhado pelo chão e pelas próprias plantas creio que trará vantagens sem prejuizo para as plantas.

Olá
Nas minhas plantas, para já não tenho formigas, mas já tive que responder a dois ataques de piolho.
Para as formigas, o insecticida utilizado no piolho, não resolve?

A propósito de insecticida, estou a tentar arranjar insecticida biológico à base de óleo de Neem...e não está fácil :-(

Relativamente á propagação por semente, para já uma conclusão que retiro é que a capacidade de germinação das semente pode variar em mais de um mês, por isso, paciência é palavra chave.

Relativamente aos pardais, para já estou a dar-lhes música, mas não descarto a possibilidade de tapar os goji com rede própria, como fiz com os morangueiros.

Obrigado pelo post, gojiberries
sansoni7 a 9 de Junho de 2012 às 22:41

Olá,
A música não vai resolver o problema a longo prazo, eles vão acabar por se habituar e depois não ligam nenhuma e até acabam mesmo por gostar de ouvir música :).
Não sei qual o inseticida que usas, por isso não sei se serve ou não.
Quanto à rede a questão de estética nem é o mais importante, mas agora existem umas redes verdes muito práticas em plástico, e até nem são caras, com vários tamanhos de malha eu compro na drogaria e custam quase 3 euros e nem se nota tanto como as de pesca nem são tão pesadas.
Ana Santos a 9 de Junho de 2012 às 23:22

Viva
Pois a rede que me refiro é essa mesmo, plástica que vende nas drogarias. Pois quano a música for agradavel à passarada terei que passar para a rede.
O insecticida que uso é o «substituto» do antigo 605 e um destes dias tinha uma visita de formigas num vaso onde semeei um caroço de manga; pulverizei-o com a calda do insecticida e eleas ficaram lá.

Quando arranjar o preparado á base de óleo de Neem, vou experimentar.
Obrigado e boas culturas.
sansoni7 a 10 de Junho de 2012 às 12:11

Viva,
Para, os pardais também uso outra técnica, saí é mais cara! Não sei se é usual para as tuas bandas usar-se nas chaminés que saem dos fornos elétricos uma espécie de chapa em inox que roda com o vento, não sei o nome, mas serve para puxar o vapor para o exterior, como isso é metálico quando a luz incide brilha muito e eles não gostam de coisas que causem muito reflexo.Ponho isso na ponta de um pau comprido e fixo e depois vais rodando com o vento. Outra maneira barata e prática é aproveitar a prata de dentro dos pacotes de vinho, tem o mesmo efeito.
Ana Santos a 10 de Junho de 2012 às 15:05

Viva
Esse material inox são as girândulas...sim, por cá também há.

Essa dos pacotes de vinho não percebi; podes pormenorizar?
Obrigado
sansoni7 a 10 de Junho de 2012 às 22:02

Olá,
No mercado existem pacotes de vinho, acho que são de 3l ou 5l, não tenho a certeza, até têm uma torneira em pástico. Esses pacotes são de cartão por fora e por dentro são de uma material prateado. Como este aqui:
http://portuguese.alibaba.com/product-gs/bag-in-box-with-tap-for-liquid-495317965.html
Que depois de vazios dá para encher com ar e pendurar com uns fios, com o vento abanam muito e os pássaros também não gostam nada.
Ana Santos a 11 de Junho de 2012 às 09:21

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
15
16

18
19
21
22
23

24
25
27
29
30


últimos comentários
Bom diaHá muito a dizer sobre esta temática
Obrigado pela informação, vou consultar.Abraço
Obrigado!Este blog surge com informações sobre goj...
Olá, Muito bom diadesde já quero felicitar pelo ma...
Muito obrigada 😘
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro