O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

Terça-feira, 15 de Maio de 2012

A primavera prossegue e os seus efeitos são visíveis por todo o lado. Árvores vestidas com folhagens novas, campos e jardins cheios de flores de todas as cores. 

 

Algumas sementes que foram semeadas no inicio desta primavera começam agora a germinar. Entre elas, as sementes de araçá. No Brasil existem dezenas de variedades diferentes que se distinguem principalmente pela cor dos frutos. As que semeei são de araçá da espécie vermelha ou rosa, é difícil dizer ao certo. As sementes são muito duras e demoraram cerca de 2 meses até germinar. Estas foram retiradas de alguns frutos que me tinham sido dados o ano passado, frutos nascidos cá em Portugal. Também me tinham dado alguns pés que coloquei em vasos mas não conseguiram pegar e acabaram por secar. Talvez por causa do frio que ainda se fazia sentir na altura.

Outra espécie que começa agora a nascer é a granadilha. Foram semeadas algumas sementes, uma delas germinou muito cedo e as outras só agora começam a romper a terra. Esta é uma espécie que não tenho bem a certeza se irá alguma vez dar fruto porque nunca vi nenhuma, não sei se o clima em Portugal será propicio. Mas como diz o ditado: “Experimentar não custa”.

 

 
 
 
publicado por Marco Rebelo às 17:08
link do post | favorito

Olá boa tarde. Descobri recentemente as bagas Goj. Andei à procura em todo o lado para comprar bagas para semear em casa... e finalmente uma pessoa conhecida enviou-me por correio.

Andei à procura pela net como deveria semmear, e segundo li deveria colocar as bagas de molho durante 8 horas ou coloca-las no congelador.

Foi o que fim. Dividi metade/metade, coloquei algumas no congelador e outras demolhei-as em água, para posteriormente ver qual é a melhor alternativa.

Comprei vários copos de plástico e fiz furos para a água drenar. Enchi-as com um composto de terra com estrume biológico de muito boa qualidade, e introduzo uma baga em cada recipiente. Também tinha alguns vasos disponiveis por isso utilizei-os.

Agora estou com duvidas se posso ou não deixar no terraço protegidas do sol e da chuva. Ou será que tenho que ter algum cuidado especial?
Estou desejosa de ver esta pequena maravilha crescere oferecer alguns rebentos a pessoas amigas.

Parabens pelo blog. stá muito bem conseguido.

Susana
asminhasbagas a 23 de Maio de 2012 às 15:20

Quanto ás bagas, creio que não terás dificuldade em encontrar em quase todos as superfícies comerciais. Por exemplo no Intermarché, Jumbo ou em alguns Pingo doce também já vi. É uma questão de procurar bem na zona das frutas tropicais e/ou na secção dos produtos naturais.
Sobre a questão do congelador sou céptico, semeei as minhas pelo método normal e não tive problema nenhum, germinaram normalmente. Não vejo ninguem a usar o congelador para semear tomates ou feijões. :p
Quando nascem convém abrigá-las da chuva e daqueles dias de sol muito intenso, embora possam apanhar algum sol, porque se não apanharem não se desenvolvem. Quando as plantas estiverem bem desenvolvidas com bastantes folhas aí convém tê-las o máximo de horas de sol por dia.
Não sou nenhum especialista mas foi o que fiz e as plantas desenvolveram-se bastante bem.
Mais alguma questão estás á vontade. Estamos todos aqui para trocar experiências e para ajudar.
Obrigado.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


últimos comentários
Olá!Pelo que sei convém enxertar para produzir fru...
Como muitos de vocês tenho uma anona com cerca de ...
Olá, alguém sabe quais os passos a seguir para des...
Olá CarlosPor experiencia própria sei que os parda...
Olá boa tarde, tenho cerca de 100 pés de goji e es...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro