Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BAGAS GOJI

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

BAGAS GOJI

02
Jan16

UMA RECEITA DE COMPOTA DE TAMARILHO

Marco Rebelo

Esta é uma receita simples de doce de tamarilho. Bom para barrar no pão ou em tostas, combinado com manteiga de amendoim, queijo da serra ou simplesmente sozinho o doce de tamarilho torna o pequeno almoço ou o lanche mais delicioso e apetecivel.

 

1 kg de tamarilho (polpa)

500 gr de açucar

um pau de canela

 

Vamos cortar os tamarilhos ao meio e retirar a polpa com uma colher. Depois colocar a polpa num tacho e triturar com uma varinha mágica adicionando em seguida o açucar e o pau de canela.

Deixar cozer em lume brando, tendo o cuidado de mexer de tempos a tempos para não pegar ao fundo. A compota estará pronta quando atingir o "ponto de estrada", teste este que é feito retirando uma colher de sopa de doce do tacho e espalhando-o num pratinho e verificar se faz uma estrada com uma colher. Agora só falta encher os frascos e guardar.

As sementes podem retiradas com um coador de rede larga no momento antes de encher os frascos, para quem preferir.

 

DSC_0244final.jpg

27
Abr15

MARACUJÁ BANANA: GERMINAÇÃO

Marco Rebelo

A primavera é a altura ideal para semear quase todas as espécies de sementes de maracujá.

Sementes de maracujá banana já tenho. Foram-me enviadas pelo meu amigo Anibal Judas que teve a amabilidade de me enviar por correio algumas delas. Aproveito aqui para lhe agradecer.

 

Image1r.jpg

 

As sementes de maracujá banana são um pouco mais pequenas que as sementes do maracujá roxo, apesar de serem bastante idênticas.
Basta um vaso pequeno e terra. Depois é só regar e esperar. Nascem com facilidade passados uns 15 dias. Podemos separá-las com cuidado umas das outras com uma colher de sopa e colocá-las em vasos maiores ou já nos sitios definitivos.

Entretanto podemos ir pensando num sitio adequado, com espaço e com luz suficiente, para fazer uma pequena ramada...

 

Image2r.jpg

 

Image3r.jpg

09
Abr15

MARACUJÁ BANANA (Passiflora Mollissima)

Marco Rebelo

Este ano vou dar especial atenção ao Maracujá banana, também conhecido como Curuba.
Esta é uma espécie de maracujá originária da América do Sul de paises como Venezuela ou Bolivia e que faz parte da grande família passiflora. O fruto é parecido com uma pequena banana, direita e com pontas curvas. A casca é lisa, amarela e suave. A sua polpa é cor-de-laranja, com sementes pretas comestíveis, como um maracujá.

 

P2150581.JPG
Estes maracujás podem amadurecer à temperatura ambiente se a casca ainda se encontrar um pouco verde. Quando amarelas e totalmente maduras as curubas têm um sabor doce. São ricas em cálcio, ferro, niacina, riboflavina, sódio, vitaminas A e C. Podem ser utilizados em doces, sumos, sobremesas, gelados, etc. Para além dos frutos a planta é utilizada para fins ornamentais pela sua grande quantidade de belas flores grandes e rosadas.

 

Passiflora_mollissima,_the_Banana_Passion_Flower_(

 

Classificação Cientifica:

Reino:Plantae
Divisão:angiospérmicas
Classe:eudicotiledóneas
Ordem:Violales
Família:Passifloraceae
Género:Passiflora
Espécie:P. mollissima

 

Planta trepadeira que precisa de suporte para poder trepar e crescer, a curuba pode atingir 6 metros de altura. Esta espécie de maracujá é uma das poucas que suporta relativamente bem o frio (até -5º).
Trata-se de uma espécie presente no território português, nomeadamente no Arquipélago da Madeira.

 

8757915872_346032f0b7_b.jpg

12
Jan15

A ÁRVORE DO ARAÇÁ

Marco Rebelo

Poda de Formação

 

Chegou a altura de podar o araçá vermelho. Estava a crescer muito para os lados e os ramos já se arrastavam pelo chão.

A operação consistiu em limpar os ramos mais finos da parte inferior do arbusto. Ficaram apenas dois ramos grossos e um deles foi cortado rente. O outro ramo foi amarrado com uns atilhos a uma estaca para que começe a crescer verticalmente. Mais tarde este ramo vai tornar-se o tronco desta pequena árvore.

Não podemos aproveitar os ramos cortados para propagação visto eles não enraizarem. Apenas é possivel por sementeira.

Este tipo de poda em formação em árvore não é obrigatória para os araçás. Para quem tem muito espaço pode deixar crescer estas plantas livremente como arbustos normais.

 

DSCF1794r.jpg

 

DSCF1791r.jpg

 

DSCF1799r.jpg

04
Jan15

ESTRAGOS DO FRIO

Marco Rebelo

Tamarilhos

 

Os tamarilhos são um fruto sensível ás geadas e antes que as noites arrefeçam a sério é conveniente apanhar todos os frutos das árvores. A geada provoca queimaduras nos frutos fazendo com que apodreçam e acabem por cair. Se cortarmos um ao meio e verificarmos que está um pouco escuro é porque não está em condições de comer e perdeu o sabor.

 

A geada queima também a folhagem e as árvores ficam despidas, mas não há problema porque voltam a rebentar na primavera.

 

Entretanto é tempo de saborear os frutos. Cortados ao meio e retirando a polpa com uma colher, adicionando um pouco de açúcar ou não, dependendo do gosto de cada um, a polpa é saborosa. Quando temos muitos frutos e não queremos que se estraguem fazer compota é uma boa ideia.

 

DSCF1783r.jpg

 As geadas queimam completamente a folhagem

 

DSCF1788r.jpg

Vamos comer os tamarilhos antes que se estraguem

08
Out14

UM ÚNICO ARAÇÁ VERMELHO

Marco Rebelo

O araçá vermelho plantado no quintal há dois anos tem um metro de altura e floresceu este verão. Apesar de ter produzido dezenas de flores, apenas uma vingou, todas as outras cairam. Deu apenas um araçá para amostra. Parece ser normal plantas novas produzirem pouco no primeiro ano.

O araçá vermelho deve ser apanhado quando estiver completamente vermelho, sinal de maduro.

 

É um fruto originário do Brasil e ainda algo desconhecido entre nós. Suculento e doce o araçá parece-me ser um fruto interessante por se adaptar bem ao clima de Portugal e sem dúvida uma espécie com potencial. 

 

08
Set14

GOJIS COM MEDIDAS DRÁSTICAS

Marco Rebelo

Eu bem que queria tirar umas fotografias dos gojis deste ano. O problema é que mal começavam a amadureçer eram logo dizimados pelos pardais. Fizesse o que fizesse era impossivel conter os ataques. Nem espantalhos, nem fitas nem cd's pendurados. A única maneira de salvar alguns foi usar um saco de batatas. Vazio. {#emotions_dlg.angry}

  

Alguns gojis sobreviventes.
 
O saco de batatas protegeu alguns ramos do apetite dos pardais.
 
 Estes safaram-se.
 
  Mais vale para o ano cobrir tudo com sacos de batatas
 
Convém deixar amadureçer os gojis ao máximo. Senão são amargos.
11
Jun14

AS FLORES DOS ARAÇÁS

Marco Rebelo

De regresso ás frutas e ao araçá vermelho. O araçazeiro vermelho cá de casa semeado á dois anos atrás começou a dar as primeiras flores. São flores hermafroditas, pequenas, brancas-esverdeadas.

 

O araçá é uma espécie interessante para se ter em casa: apesar de apreciar clima tropical com muito calor e humidade, também tolera bem as geadas e adapta-se muito bem ao clima de Portugal, gosta de sol pleno, além de ser resistente a pragas e doenças.

Voltaremos a falar do araçá lá mais para final do verão quando tiver frutos maduros.

 

 
 
 
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D