O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

Domingo, 6 de Janeiro de 2013

A poda das framboesas

 

Continuando com as podas, outra das plantas em que se pode fazer esta operação são as framboesas.

A folhagem tem caído e a que ainda resta está fraca e com mau aspecto, por isso é uma boa altura para fazer alguns cortes e uma limpeza geral e esperar pela primavera para que as framboesas comecem a rebentar na máxima força.

Resta-nos depois apenas os gojis. Brevemente vão ser os próximos a sofrer uma pequena poda.

Mas por agora vamos ás framboesas. E quem tem framboesas é a Ana Santos, é ela mais uma vez que nos vai contar o que andou a fazer estes dias no quintal dela.

  

 

"Este é o primeiro ano que cá em casa se poda framboesas. Existem duas maneiras para as podar:

1ª Cortar os ramos que deram frutos apenas e desbastar um pouco.

2ª Cortar tudo deixando apenas um tronco de 20 a 30 cm.

Eu optei pela segunda opção, pois quero que o tronco principal engrosse para ter a capacidade de aguentar com os ramos novos e frutos, sem ter de colocar uma estrutura em madeira ou arame.

Quanto à primeira opção, lógico que terá de ter uma estrutura de suporte, para que a planta não fique inclinada devido ao peso do próprio tronco.

Deixo algumas ilustrações da maneira como foram podadas."

 

 

tags:
publicado por Marco Rebelo às 19:37
link do post | comentar | ver comentários (5) | | | favorito

Terça-feira, 21 de Agosto de 2012

As framboesas são uma fruta que faz lembrar o verão. Gosto delas principalmente em batidos simples com leite. Mas há mesmo muita gente que nem sabe o que é, nem que nunca provou este fruto. Tal como as amoras ou os mirtilos, as framboesas não fazem parte dos frutos habitualmente consumidos pelos portugueses. E Portugal até possui das melhores regiões da europa com condições favoráveis ao seu cultivo.

Tal como os maracujás, também já tive framboesas no quintal cá de casa há uns anos atrás. Quem tem ou já teve esta planta em casa sabe que precisa de algum espaço, e como não tenho muito cá em casa, de momento não tenho framboesas. Esta é outra espécie de que vale a pena falar por ser uma planta de fácil trato, que nos recompensa com frutos deliciosos e nutritivos, para isso bastando termos em casa algum espaço.

Sei quem tem alguns pés. A Ana Santos, como não podia deixar de ser, tem alguns no seu quintal. E vai ser ela a contar-nos algumas coisas sobre esta fruta, algumas informações gerais e nomeadamente a experiência que ela tem tido com esta planta.

 

Classificação Cientifica:

 

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Ordem: Rosales

Familia: Rosaceae

Género: Rubus

Especie: R. idaeus

 

E porque não a framboesa!

por Ana Santos

Agora que é a altura das famosas flores começarem a brotar e mostrar todo o seu explendor...
Ofereceram-me meia dúzia de pés de framboesa ainda pequenos em Abril e resolvi plantá-los e relatar a experiência, mas primeiro há que a conhecer um pouco melhor.
Esta planta é nativa de várias partes da Europa e do Norte da América. Pertence à família da Rosaceae, género Rubus, que se encontra subdivida em 12 subgéneros: Chamaemorus, Dalibarda, Chamaebatus, Comaropsis, Cylactis, Orobatus, Dalibardastrum, Malacholatus, Anoplobatus, Idaeobatus, Lampobatus e Eubatus. As framboesas vermelhas, amarelas e pretas são as mais comuns. 

 

 

Floração e o Fruto

 

As primeiras florescem no Verão após um ano de crescimento vegetativo, após passar por um período de dormência durante o Inverno.

O tamanho e forma do receptáculo determinam o tamanho e forma do fruto. Os grãos de pólen variam em tamanho e número de poros. As flores segregam grandes quantidades de néctar, através de um anel carnudo na margem do receptáculo e dentro do anel de estames, podendo produzir até cerca de 1,4 mg de açucares por dia, e um total de 13 mg de néctar durante todo o período de floração. Este néctar rico e abundante juntamente com o pólen é altamente atrativo para os insetos polinizadores, principalmente a abelha doméstica .

A floração pode ocorrer durante 1 a 3 semanas. A queda das pétalas inicia-se 1 ou 2 dias após a abertura da flor.
O fruto avermelhado é um agregado de drupéolas formado pela junção de um grande número de ovários todos da mesma flor e aderentes a um receptáculo comum.

 

 

Raizes, Caule e Folhas


O sistema radicular da framboesa é fasciculado, desenvolvendo-se na sua maior parte nos primeiros 25 cm acima do solo, constituindo a estrutura perene da planta. As raízes podem apresentar até 20 mm de diâmetro, sendo no entanto a espessura de 3 a 4 mm a mais frequente. As raízes são mais grossas junto à base dos lançamentos. A disposição das raízes no solo é assimétrica, sendo influenciada pela competição entre plantas bem como pela rega e a adubação. É do sistema radicular que todos os anos surgem novos lançamentos.

Normalmente as folhas jovens e as dos ramos de fruto são trifoliadas, apresentando as folhas adultas cinco folíolos.
Os caules da framboesa (lançamentos) são geralmente cilíndricos, podendo ser lisos ou ostentar acúleos semelhantes a espinhos, e pêlos.

 

 

A Cultura em Portugal

 

Em cultura protegida consegue-se produzir framboesa durante praticamente todo o ano nas regiões do litoral alentejano, Algarve e Ribatejo e Oeste.
Na cultura de ar livre, é possível obter produção de framboesa entre Abril e Setembro, em quase todas as regiões, Portugal tem condições para produzir framboesa entre Outubro e Dezembro, período em que nenhum país consegue produzir. Esta é uma das mais valias que faz com que o sector tenha grande rentabilidade, sendo também uma das razões pelas quais as empresas de capital estrangeiros se têm vindo a instalar no nosso país.

Agentes ligados ao sector agricola estimam, para o periodo 2007-2013 um aumento na produção da framboesa de cerca de 300%. Todos os mercados do leste europeu são uma boa aposta para Portugal, pois têm elevados hábitos de consumo e não as conseguem produzir fora de época devido ao clima.

Há centenas de espécies cultivadas, algumas delas são: Heritage (a mais cultivada em todo o Mundo) Autumn Bliss, Himbo-Top, Joan Squire, Polka, etc.

A propagação da planta dá-se principalmente por estacas e por pedaços de raizes mas também podem ser utilizadas sementes.

 

 

Propriedades e utilizações

 

A framboesa, silvestre ou cultivada, tem poucas calorias e é rica em vitamina A, C, em sais minerais como cálcio, ferro e fósforo e fibras.

Pode ser utilizada na culinária no fabrico de polpas, compotas, doces, iogurte, etc.

É uma fruta que se deteriora rapidamente sendo encontrada facilmente congelada.

tags:
publicado por Marco Rebelo às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (6) | | | favorito

Terça-feira, 27 de Março de 2012

Um quintal com algumas espécies vegetais de que valerá a pena falar, é o quintal da minha querida Ana Santos.

Residente também ela na zona de Aveiro, possui um terreno bem cuidado junto á sua casa, que para além de alojar alguns animais, crescem lá igualmente uma grande variedade de vegetais horticolas e árvores de fruto comuns usados para consumo caseiro.

Além destas, tem também outras menos comuns, por exemplo alguns pés de Goji, oferecidos por mim, semeados há cerca de um ano. Sobre estes, e no caso particular de um dos pés, verifica-se que este apresenta uma boa folhagem, e além disso tem também alguns ramos com flores já abertas, apesar de ainda estarmos em Março. Normalmente a frutificação dos gojis dá-se só no final do verão.

Poderá isto ser causado por este tempo anormalmente quente e seco que se tem feito sentir para esta altura do ano? Ou o aparecimento destas flores prematuras serão causadas por outro fenómeno qualquer? È dificil chegar a alguma conclusão. Em todo o caso é mais um sinal de que esta espécie se adapta muito bem ao nosso clima.

É interessante e curioso e vamos continuar a acompanhar novos desenvolvimentos, nomeadamente se esta planta chegará a frutificar brevemente ou não.

Ficam as fotos:

 

Um pé de goji
  
Outro pé de goji
  
Botões e flores de goji
 
Flores de goji
 
Mais flores de goji
 
Mais flores de goji vistas de outra perspectiva
 
Na primavera o marmeleiro ganha rebentos novos
 
Depois de ter perdido as folhas por causa das geadas, o tamarilho começa a rebentar
 
Framboesas
 
Um mirtilo que começa a rebentar
publicado por Marco Rebelo às 13:32
link do post | comentar | ver comentários (6) | | | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
contador de visitas
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


contacto

últimos comentários
Ola ja e o quarto ou quinto ano que tenho a minha ...
Interessante. Fica a ideia. Obrigado!
Ainda bem que gostas :D
Tenho uma exploração e tenho alguma dificuldade na...
Uma ideia: Orelhinhas de maracujá roxo https://com...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro