O blogue sobre divulgação, promoção e cultivo de várias espécies de plantas frutíferas pouco comuns em Portugal.

Quinta-feira, 22 de Novembro de 2012

Em Portugal, a região norte é a principal região de produção de kiwis. Calcula-se que graças a novos projectos agrícolas que estão a ser implementados a produção duplique para 44 mil toneladas anuais dentro de 2 anos. Actualmente, o sector exporta mais de 65 por cento do que produz, o que se reflecte numa facturação de cerca de 33 milhões de euros. O kiwi português é considerado lá fora como um dos melhores do mundo.

A colheita destes kiwis é feita desde os finais de Outubro até Dezembro, dependendo do índice de maturação do kiwi.

 

 

Por estarmos na época de colheita dos kiwis fomos dar uma espreitadela á ramada de kiwis que a Ana Santos tem em casa. Ela partilhou umas fotos e diz o seguinte:

 

"A melhor altura para a apanha do kiwi é durante este mês, quando as folhas começam a cair e o frio a apertar. Não temos necessáriamente de os apanhar todos de uma vez, podemos começar por aqueles que são maiores e apresentam um caule mais escuro e/ou mais seco. Se houver kiwi em grandes quantidades convém guardá-los num local escuro e fresco bem espalhados, e algum que se queira comer podemos juntar a outras frutas na fruteira, que eles amadurecem muito mais rápido. Quanto à altura para a poda, convém deixar a folha cair quase toda, normalmente ronda as vésperas do natal, ou seja o mês de Dezembro."

 

Ana Santos

 

 
Informação Nutricional
 

Contêm duas vezes mais vitamina C que a laranja; apresenta um índice de nutrição de 16; excelente fonte de magnésio; fonte nutricional em fibras dietéticas; excelente fonte de betacaroteno e de aminoácidos e muito rico em potássio, um mineral vital para o nosso organismo, cuja deficiência pode produzir problemas de tensão arterial, depressão, stress e disfunções digestivas. Em termos dietéticos e comparativamente ao limão, é seis vezes mais rico em vitaminas, sendo ainda relativamente à maçã, 4 vezes mais rico em potássio e fósforo e 10 vezes mais rico em cálcio.

 

Para o consumo ao natural, descasca-se e come-se a polpa. É aconselhável cortar o fruto somente no momento do consumo, para evitar oxidações e, consequentemente, perdas do valor nutritivo.

O Kiwi é um fruto particularmente indicado para o pequeno-almoço, assim como, também ao almoço e ao jantar, a refeição pode ser concluída com este fruto quer pelo seu especial valor nutritivo quer como alternativa aos frutos em que geral se recorre.

O Kiwi é um tesouro de vitaminas e minerais, sendo o mais denso em nutrientes dos 27 frutos mais populares no mundo.

 

Já temos kiwis para o pospasto.
 
Fontes de informação: http://hortinet.info e http://www.kiwicoop.com
tags:
publicado por Marco Rebelo às 19:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | | | favorito

Quinta-feira, 15 de Novembro de 2012

Outono. O sol desaparece e as folhas morrem. A natureza apresenta-se algo triste mas de certa forma bela ainda assim. Altura de inicio de repouso para algumas espécies vegetais e altura de colheita para outras. Tempo de maçãs, pêras, romãs e dióspiros. Apanham-se as abóboras, os frutos secos: as nozes, as avelãs, as castanhas...

Sobre os tamarilhos vermelhos poucas noticias há nesta altura. Este primeiro ano o pé carregou bastante, são algumas dezenas deles, apesar de terem caído alguns com o vento. Estão aparentemente com um tamanho aceitável e começam a adquirir timidamente uma cor avermelhada, mas o seu amadurecimento tarda. Parece ser uma fruta que precisa de muito sol e calor e o tempo que agora se aproxima irá dificultar ainda mais o amadurecimento conveniente dos frutos. Ficam algumas fotos dos bonitos tamarilhos, vou continuar á espera que finalmente amadureçam para voltar a dar noticias.

 

  
  
tags:
publicado por Marco Rebelo às 17:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Segunda-feira, 12 de Novembro de 2012

Uma sugestão de receita que pode incorporar gojis. É uma receita do Chef Chakall que costuma vir no rótulo de embalagens de uma marca de gojis secos. Há muitas variações da salada "Coleslaw". Os ingredientes principais são a couve crua, a maionese e as natas. Apartir daqui podem ser adicionados outros ingredientes. É uma salada que serve como acompanhamento de grelhados e ideal também para juntar ao nosso pão com hambúrguer ou ao nosso cachorro...

{#emotions_dlg.drool}

Ingredientes:

 

20g de Bagas de goji desidratadas

200g de Couve roxa ralada

200g de Couve branca ralada

50g de Cenoura desidratada

1 Chávena de maionese

100ml de Natas

1 Colher de sopa de açúcar

30ml de Vinagre de sidra

pimenta

 

Preparação do molho:

 

Misturar a maionese com o açúcar, vinagre e as natas. Temperar a gosto. Incorporar os restantes ingredientes. Antes de adicionar os gojis, demolhá-los em água durante 10 minutos. Servir como acompanhamento de grelhados.

 

Receita by Chakall

 

Esta sugestão de apresentação tem bom aspecto.
tags:
publicado por Marco Rebelo às 18:14
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Sábado, 10 de Novembro de 2012

A espécie “lycium chinense” é uma parente muito próxima da “lycium barbarum”. São generos de planta muito idênticos tanto em relação á sua origem como á morfologia das plantas, por isso mesmo muito dificeis de distinguir entre si.

 

Lycium chinense

 

Originária do sul da Europa e da Ásia a “lycium chinense” é cultivada maioritariamente no sul da China onde o clima é mais quente, ao contrário da sua parente próxima a “L. barbarum” que é cultivada no norte onde o clima é mais frio.

Estes dois generos são os mais cultivados por produzirem frutos e folhas usados na alimentação humana ao contrário de outras espécies de “lycium” que são tóxicas. O fruto, as bagas de goji, têm nos dois generos de planta propriedades, tamanho e quantidades de nutrientes equivalentes.

O arbusto desta espécie é um pouco mais pequeno do que o da “l. barbarum”. Floresce de Junho a Agosto, possui flores hermafroditas polinizadas por abelhas. Para facilitar esta tarefa é comum serem colocados cortiços nas proximidades das plantações.

Estas duas espécies têm uma longa tradição tanto na alimentação como na medicina asiática. Os frutos e as folhas são utilizados em guisados, sopas, saladas, chás, etc.

 

 

 

E já chega de falar de mais espécies de “lyciums”.

Como conclusão, deu para ter uma ideia que, tal como acontece com quase todas as plantas que existem na natureza, esta familia de plantas é bastante grande e se encontra adaptada e espalhada por todos os continentes.

 

Fonte: internet, wikipédia

tags:
publicado por Marco Rebelo às 15:09
link do post | comentar | ver comentários (1) | | | favorito

Quarta-feira, 7 de Novembro de 2012

Existem cerca de 20 espécies nativas diferentes de “Lycium” na América do Norte; 30 na América do Sul; 30 em África; 10 na Europa e na Ásia e 1 na Austrália.

Por exemplo a “Lycium europaeum” é originária da Europa.

 

Lycium europaeum

 

É um arbusto originário da região mediterrânica da Europa mas cresce um pouco por todo o mundo. Também conhecido como “espinheiro” ou "espinho de cristo", é uma planta comum em matagais e terrenos ermos e abandonados da região mediterrânica. Por vezes é utilizado como sebe nos limites de terrenos agricolas.

É um arbusto que atinge os 2-3 metros de altura, possui uma estrutura bastante ramificada e espinhosa.

O fruto é uma baga vermelha muito pequena que não é comestivel, ao contrário das folhas dos rebentos novos que são utilizados em saladas em vários paises.

 

 
 

  

 

Fonte: internet, wikipédia

tags:
publicado por Marco Rebelo às 20:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | | | favorito

Terça-feira, 6 de Novembro de 2012

Já não há muito a dizer sobre esta espécie (Lycium barbarum). A par com a "Lycium chinense", são as duas únicas espécies cultivadas pela suas qualidades e maior quantidade de frutos.

 

Lycium barbarum


Também conhecida por "Chinese Boxthorn" esta espécie é originária da Ásia nomeadamente da China e encontra-se actualmente espalhada praticamente por todo o mundo. É cultivada maioritariamente no norte da China. A Turquia e a India também a cultivam. Ao contrário do que se diz, esta planta não se cultiva nos Himalaias nem no Tibete.

 

  

Esta espécie destaca-se pelo grande comprimento das suas folhas
 

Pode atingir entre 1 a 3 metros de altura. As flores são de cor rosada e lilás. Esta espécie destaca-se das outras pelo grande comprimento da folha que pode atingir até 7 cms. É normal o aparecimento de alguns espinhos ao longo dos ramos. O fruto, as conhecidas bagas de goji, são de cor laranja e vermelhas quando maduras. Têm formato ovolóide e tamanho de 1-2 cms e cada baga possui no seu interior entre 10 a 60 minúsculas sementes.

Tem uma larga tradição na medicina natural oriental que remonta há vários milhares de anos. Além disso o uso dos frutos, das folhas e das raizes é comum na preparação de chás e infusões e na confecção de pratos culinários em vários paises asiáticos.

 

 

 

Fonte: internet, wikipédia

tags:
publicado por Marco Rebelo às 16:41
link do post | comentar | ver comentários (7) | | | favorito

Segunda-feira, 5 de Novembro de 2012

Os gojis secos que normalmente vemos á venda no comércio são frutos de uma planta pertencente ao genero "Lycium" e que se chama "Lycium Barbarum". Esta espécie é talvez a mais conhecida de todas. Mas além desta, existem ainda mais de 90 espécies do genero "Lycium". Estas são algumas das mais comuns: Lycium barbarum, Lycium chinense, Lycium afrum, Lycium carolinianum, Lycium australe, Lycium horridum, Lycium europaeum, Lycium ferocissimum. Desta última vamos falar um pouco agora. As outras ficam para próximos posts.

 

Lycium ferocissimum

 

Também conhecida por “African boxthorn” esta espécie é nativa da África do Sul. É muito comum também na Austrália e na Nova Zelândia onde já se tornou numa espécie invasiva em certas zonas. Na Austrália existe outra espécie, mas esta nativa, que se chama "Lycium australe".

Este arbusto que pode ser encontrado no estado selvagem em terrenos abandonados, perto de cursos de água e outros sitios ermos. Ofereçe refugio a animais como aves, raposas ou coelhos.

 

Os arbustos são desta espécie ofereçem esconderijo e protecção a animais como pássaros e raposas

 

É um arbusto que pode atingir entre 3-5 metros de altura. Cresce em todos os tipos de solo mas prefere mais os do tipo pobre e árido.

Os ramos têm espinhos afiados, as folhas são pequenas e têm uma forma oval com 1 a 4 centimetros de comprimento. As flores estão presentes praticamente durante o ano todo e podem ser de cor branca e roxa. O fruto é pequeno e redondo por vezes ovoloide, de cor laranja e vermelha, pode atingir 1 centimetro de diâmetro. Tem alcalóides tóxicos e é comido maioritariamente pelos pássaros nativos que constituem a principal causa de propagação da planta, espalhando as sementes nestas zonas.

   
Aspecto das flores e dos frutos

 

Aspecto dos frutos

 

Fonte: internet, wikipédia

tags:
publicado por Marco Rebelo às 21:13
link do post | comentar | | | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
contador de visitas
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
14
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


contacto

últimos comentários
Interessante. Fica a ideia. Obrigado!
Ainda bem que gostas :D
Tenho uma exploração e tenho alguma dificuldade na...
Uma ideia: Orelhinhas de maracujá roxo https://com...
Olá!Posso dizer que já comi Tamarilhos e seu Doce,...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro